Total de visualizações de página

terça-feira, 24 de maio de 2011

IDENTIDADE


“Ei, toca aí um forro!!!!”
“Dá pra tocar alguma coisa mais animada?”
“Toca aí a nova música de Luan Santana!!!”
- Amigo, você percebeu que isso aqui é um grupo de SAMBA?
“Sim, mas tem nada não, toca aí homi!!!”

Quem se apresenta nos bares e casas noturnas certamente já se deparou com algo parecido. As pessoas, salvo raras exceções, não estão muito interessadas na proposta oferecida pelo artista. Original ou não, pouco importa, o que o povo quer é diversão.
Se a banda toca “de tudo” está resolvido o problema, pois agradará a gregos e troianos. Mas sendo assim me pergunto: há identidade nesse tipo de trabalho artístico? Será que o caminho é ser o mais eclético possível, para agradar um número maior de pessoas?
Estaria o artista sendo egoísta por só querer tocar determinado gênero?
No meu pensar, a música, assim como toda a manifestação artística, deve ter uma “cara”, uma “identidade”. A partir daí, quem simpatizar ou se identificar com aquela proposta passará a apreciá-la.
Faço parte de um grupo que se propôs a tocar samba e mpb. Digo com propriedade que a missão não é nada fácil. A resistência é maior que a aceitação.
Porém, uma coisa é certa, quem nos prestigia, quem acompanha o nosso trabalho, cria uma significativa fidelização com o nosso som. Uma espécie de clientela cativa que nos acompanha fielmente, e que nos faz ter a certeza de que nosso trabalho é “verdadeiro”.
O caminho é árduo. Sempre haverá dissidências. O importante é seguir em frente acreditando no que se faz, ainda que as dificuldades se mostrem desmotivadoras.

Esse post é uma pequena homenagem a todo o artista que faz de sua arte uma extensão de suas crenças e ideologias, e que por assim escolher se sujeita a não agradar a todos.

“Vixxx, essa banda é muito fraca, nem toca swingueira!!!”
- Serve Chico Buarque?




11 comentários:

  1. ° Muito legal o post... e nos leva a parar pra pensar, como apreciadores de boa música, ou como artistas,cantores, músicos..
    INteressante.
    E o potiguar, a pequena parte, já está se direcionando à qualidade musical.. alguns poucos.
    Continuem com o belo trabalho! Música de qualidade, sempre.

    ResponderExcluir
  2. MUITO PERTINENTE ESSA POSTAGEM, JH.
    FIZ ALGUNS COMENTÁRIOS A ESTE RESPEITO EM MEU TWITTER E RECEBI ALGUMAS MANIFESTAÇÕES DE APOIO E OUTRAS RETALIAÇÕES POR ISSO.
    SEMPRE QUE CHEGO A ALGUM DONO DE BAR OU RESTAURANTE, ELE ME PERGUNTA: TOCA MÚSICA ANIMADA?
    RESPONDO SEMPRE: TOCO MÚSICA BOA; SERVE?
    É IMPRESSIONANTE COMO A MAIORIA DOS EMPRESÁRIOS DA NOITE NATALENSE SÓ SE PREOCUPA COM A QUANTIDADE E DEIXA A QUALIDADE EM ÚLTIMO PLANO.
    CERTA VEZ, VI UMA APRESENTAÇÃO DO LINHA DE PASSE COM O PÚBLICO CONSUMINDO TUDO, DESDE A ÓTIMA MÚSICA ATÉ OS PETISCOS E TODA BEBIDA DO BAR. QUANDO ENTROU A OUTRA BANDA O SELETO PÚBLICO PAGOU AS CONTAS E FOI EMBORA SENDO SUBSTITUÍDO POR OUTRO BEM MAIOR MAS QUE SÓ ESTAVA ALÍ PARA A "DANÇA DO ACASALAMENTO" E NÃO CONSUMIR NADA DE FUTURO PARA O BAR.
    RESUMINDO: MÚSICA BOA ATRAI BOM PÚBLICO E GENTE QUE CONSOME. É INVESTIMENTO SEGURO.
    MINHA IDENTIDADE É A MÚSICA BOA, INDEPENDENTE DO RITMO PORQUE ELA EXISTE EM TODOS. BASTA TER UM LETRA QUE CHAME A ATENÇÃO E NOS DIGA ALGO E QUE SEJA EXECUTADA COM SIMPLICIDADE E BELEZA.
    GRANDE ABRAÇO, JOÃO HENRIQUE.

    LUCIANO QUEIROZ.

    ResponderExcluir
  3. Boa joão,já fizemos um show inteiro pra duas pessoas e elas cantaram todas as músicas do nosso repertório,mas pra gente era como se o bar estivesse lotado pois sabia-mos que estavamos tocando pra quem gosta de boa música,e o resto é besteira.

    ResponderExcluir
  4. Lua,seja bem vinda.
    O espaço aqui é para divulgação e reflexão.
    Participe sempre.
    Abs, JH.

    Luciano e Renan,
    Com certeza vocês já passaram por situações parecidas. E certamente se mantiveram fiéis à boa música que compõe o trabalho de ambos. Obrigado pela participação ativa.
    Grande abraço.
    JH

    ResponderExcluir
  5. Ótima questão tratada nesse post.
    Digo isto porque várias vezes presenciei a insatisfação de alguns frequentadores dos ditos "barzinhos da moda que bombam". Porém, são o público que menos prestigiam o artista, de que isso adianta?
    Parabenizo ao grupo pela identidade definida e pelos "cortes" a cada um que pede uma música que difere do repertório. hehehehe
    Fico emocionada tanto quanto vocês quando vejo uma festa ou um barzinho repleto de adimiradores, os quais adoram vocês pelo o que fazem.
    Parabéns, este é o caminho!!!!
    Bjãoooo.

    ResponderExcluir
  6. Tereza D'Ávila25 de maio de 2011 11:33

    Isso acontece porque estamos cercados de pessoas sem bom senso. O gosto musical de alguém está diretamente relacionado ao seu grau de boa educação.

    É por isso que não vejo paredões de som ensudercedores tocando os bons sambas, os bons forrós, as boas baladas, o bom gosto.

    É por isso que a seleção de bregão do vizinho toca mais alto do que a TV da nossa casa, e às vezes mais alto até do que o som do nosso raciocínio.

    É por isso que o Linha de Passe, Luciano Queiroz e os bravos defensores da boa música em Natal recebem bilhetes pedindo "músicas mais animadas", Luan Santana, suingueira, ou qualquer outra porqueira que os valha.

    E, principalmente, é por isso os apreciadores da boa música, bem educados e sensatos, como nós, não mandamos bilhetinhos para as duplas sertanejas ou para as bandas de forró de plástico pedindo Chico Buarque.

    ResponderExcluir
  7. ° Obrigada!

    Aparecerei mais vezes sim xD

    Ainda não tive oportunidade de ver vocês tocando, mas admiro o trabalho e a boa música.

    ParaBéns!

    ResponderExcluir
  8. Toco em um grupo de pagode em aki em Natal, gostaria muito de implantar essa "condição" aos integrantes do meu grupo... mas ainda não consegui, gostaria muito de tocar só o VERDADEIRO SAMBA!

    ResponderExcluir
  9. Japa,
    Esses “cortes” muitas vezes são necessários, desde que cuidadosamente aplicados, rsrsrsrs.
    Obrigado pelo comentário.
    Bjao.

    Tereza,
    Acho que o bom gosto musical está, sim, de alguma forma relacionado à boa educação. Quando ela vem de berço fica mais fácil. Mas acredito muito na capacidade humana de se auto-educar. Muita vezes o que falta nas pessoas é a oportunidade de conhecer a boa música. Também pudera, com esse despejo de porcarias que entram em nossos ouvidos sem pedir licença fica difícil a competição. Mas a luta continua, rsrsrsrs.
    Abra©os.
    JH

    Lua,
    Estamos sempre aos sábados a tarde no Saideira da Integração, 14h.

    JH

    Anônimo,
    Imagino o tamanho de sua angústia amigo. Mas veja só, se o grupo tem como proposta tocar os sambas mais modernos e menos requintados, os ditos “pagodes”, e segue fiel àquilo que se propôs, é porque a identidade do grupo é essa. Cabe a você avaliar sua participação nesse projeto. Assim eu penso.
    Obrigado pela participação, comente sempre.

    JH

    ResponderExcluir
  10. Amigo joão, desculpa por não ter comentado aqui anteriormente, ja lhe falei isso pessoalmente, mas enfim..., eu acredito que as pessoas que tem esse tipo de comportamento em sua maioria são pobres de acuidade musical e sensibilidade, muitas vezes por estarem acostumadas a escutar o que a mídia, seja ela da tv ou do rádio, tem impostado, principalmente nessas últimas décadas; com o princípio de o que vale é a audiência!..., nossos pais e avós certamente foram mais felizes que nós "pobre modernos", cada dia mais informatizados e menos informados no mundo da música... vai ai meu pequeno desabafo a todos. Valeu João! e como você mesmo disse a gente segue nessa luta. abraço e parabéns mais uma vez pelo blog.

    ResponderExcluir
  11. Professor Stênio, seja bem vindo. Ainda bem que somos curiosos e estamos sempre em busca de belas canções. Grande abraço.

    JH

    ResponderExcluir