Total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

VIDA ALHEIA - Batuque na veia


Já dizia o poeta: batuque é um privilégio, ninguém aprende samba no colégio. (Feitio de Oração – Noel Rosa).
Realmente, o samba não é como a matemática, o português, a física. Não se estuda por módulos, nem se avalia por exames trimestrais. Porém, quando ele se revela no ambiente escolar, planta no coração do estudante a semente do futuro médico-sambista, advogado-sambista, o Dr. do samba.
Foi nesse ambiente que, despretensiosamente, um grupo de amigos do colégio Marista se uniu para formar o grupo, à época chamado de “descontrasamba”, embrião daquele que mais tarde se tornaria Vida Alheia.
O tempo passou, alguns componentes saíram, mas a essência da boa música permanece.
O grupo tem uma característica que se difere dos demais, a percussão. É surdo, tan-tan, repique de mão, pandeiro, cuíca, tamborim, caixa, reco-reco, repique de anel, uma verdadeira escola de samba, com muita alegria e cadência. Violão e cavaco são responsáveis pela harmonia necessária à suave voz de Alessandra Macedo.
Em seu repertório, o melhor do samba, dos antigos aos mais recentes, sempre destacando-se a pegada forte e contagiante da turma da “percussa”.
Leandro – cavaco, Gustavo – violão, Diogo - flauta, Rogério Madureira - pandeiro e voz, Sérgio – percussão, Rafael – percussão e Alessandra – voz.
É samba forte, pegado, envolvente.
É o samba que nasceu na escola, é o batuque da escola de samba.
É o Vida Alheia.


Contato 084 9101.2508 ( César).



terça-feira, 23 de novembro de 2010

Samboêmios - Samba e Amizade


"A amizade...nem mesmo a força do tempo irá destruir...somos verdade...nem mesmo este samba de amor pode nos resumir".

Essa música do grupo Fundo de Quintal intitulada “A amizade” traduz de forma exata o espírito dos Samboêmios. São amigos, parceiros de bar, amantes da boa música que se uniram, não com o propósito de viver do samba, mas sim, viver o samba.
“Não somos uma banda; somos um grupo de amigos, amantes do samba e, principalmente, da alegria de tocar junto e se divertir”.
Pelas próprias palavras de seus integrantes nota-se que a amizade é o grande elo de união e constituição do grupo.
Todavia, para conquistar o público da forma como vem fazendo, além desse atributo peculiar, o que não falta nessa turma é talento.
A começar pela proposta originalíssima de colocar um acordeom no samba.
É dizer, o nordeste quer mostrar que faz samba também, parafraseando o saudoso poeta da Vila Isabel.
Em seu repertório passeiam por grandes clássicos do gênero, prestigiando-se nomes como Cartola, Noel Rosa, Clara Nunes, Chico Buarque, João Nogueira, Paulinho da Viola, Zeca Pagodinho, Beth Carvalho, Arlindo Cruz entre outros.
É a mistura do velho com o novo, da beleza do passado com a irreverência do presente, da sanfona com o cavaco, da suavidade da voz feminina com o coro forte da macharada, rsrsrs.
Natália Amorim – voz, Léo Galvão - cavaquinho e arranjos, Flavio Henrique – bateria, Lucas Bona – percussão, Tiago - sanfona, Rafael Brandão - violão e voz e Victor – percussão. Amigos que fazem da noite natalense o palco de suas afinidades com muita categoria e bom gosto.
Toda sorte pra vocês.

Contato para shows:
Thiago Simonetti - produtor. Tel. 8804 4934




quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Arquivo Vivo - Os donos do Beco.


Cadência contagiante, batuque de primeira e um repertório que prima pelo melhor do samba, é assim que os bambas do Arquivo Vivo embalam a noite natalense, com muita originalidade e alegria.
Descobertos no “buraco da catita” subiram com seu batuque até o tradicional beco da lama onde até hoje, nas noites de quinta, se encontram para mais uma roda de samba. Gente que sai do trabalho, das lojas do centro da cidade, das repartições públicas da ribeira, todos com um só propósito: cantar junto com o Arquivo Vivo, tomar uma cerveja gelada, relaxar e curtir a noite.
O grupo é composto por Bruno (Voz e Percurssão); Maurício (Surdo); Binho (Reco); Carlinhos (Rebolo); Marcos (Cavaquinho); Renan (Pandeiro). São boêmios, na verdadeira essência da palavra,  que conquistam adeptos e amantes da boa música, revivendo e redescobrindo a nostalgia dos tempos áureos do samba.
Com muita personalidade o grupo se destaca no cenário musical local encabeçando, junto a outros poucos grupos, o movimento de redescoberta da música brasileira.
Em seu repertório, samba de vários compositores do gênero, dentre eles: Cartola, Nelson Cavaquinho, Nelson Sargento, Paulinho da Viola, João Nogueira, Roberto Ribeiro, Chico Buarque, Dona Ivone lara, Candeia, Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Leci Brandão, Beth Carvalho, entre outros.
Pra quem ainda não os conhece vale a pena conferir esse trabalho.
Boa sorte amigos!


Roda no Beco com o Arquivo: http://www.youtube.com/watch?v=andvQDYbHf0

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

QUARTETO LINHA DE PASSE

Queridos amigos, a partir deste post abriremos espaço para a divulgação direta dos artistas locais, a começar pelo trabalho do Quarteto Linha de Passe, projeto musical do qual tenho a honra de fazer parte.

Assim dispõe o release do grupo:
“O samba é alegria, amor e poesia que embala o povo a sonhar...” (Vander Carvalho/Luiz Carlos/Ronaldinho). Eis a inspiração e a meta do Quarteto Linha de Passe. Cantar o samba de ontem e de hoje, revisitar os clássicos do gênero e apresentar as mais belas composições atuais, passeando pelas obras de Nelson Cavaquinho, Cartola, Paulinho da Viola, Chico Buarque de Holanda, Dona Ivone Lara, Arlindo Cruz, dentre outros.
O grupo nasceu em Natal, Rio Grande do Norte, fruto da união e de um sonho comum de quatro amigos: trazer para a capital potiguar o movimento musical de redescoberta do samba que se vê hoje no bairro carioca da Lapa. Em curto espaço de tempo, o projeto “Quarteto Linha de Passe” saiu do papel para os ensaios, e, dos ensaios, para a noite natalense — em setembro, o conjunto apresentou-se no Projeto Cultural do Praia Shopping com o show “clássicos do samba.”
As apresentações do Quarteto Linha de Passe — assistidas também em algumas festas fechadas — procuram mostrar algo a mais que a simples execução de um repertório refinado de sambas. Aliando simplicidade e personalidade nos arranjos musicais, o grupo procura também reproduzir no palco a áurea boêmia e poética que envolve a história desse importante gênero da música popular brasileira.
O quarteto é composto por Ayrton Neto (voz e percussão), Alex Amorim (voz e percussão), João Henrique Koerig (voz e cavaquinho) e Stenio Medeiro (voz e violão). Um analista de sistemas, um técnico de laboratório, um advogado e um fisioterapeuta, respectivamente. Amigos e profissionais que fazem do samba o ponto de encontro da alegria, da amizade, do entrosamento e da celebração à boa música.”

Apesar de atualmente o grupo ser composto por quatro músicos, existe uma cadeira a ser ocupada por um dos idealizadores do projeto – Vinícius Lins – nosso grande amigo que, em virtude de nomeação para o cargo de procurador federal do Estado de Rondônia, teve que se ausentar da cidade e, conseqüentemente, deixar o projeto.
Atualmente o grupo apresenta-se as sextas-feiras na AABB às 20h e aos sábados no A Saideira (Av Intergração) às 14h.
Além do resgate aos grandes clássicos do samba, o grupo iniciou um trabalho de composição e de pesquisa de sambas inéditos para uma eventual gravação.

Aproveitem o espaço destinado aos comentários para dar sua opinião sobre nossa proposta de trabalho. O que vocês acham do grupo? No que poderíamos melhorar? Fiquem à vontade.




Release digital:

Contato para shows:
(84) 9411.5556  (84) 9116.0375